quarta-feira, 7 de junho de 2017

Novidade

O pedido de várias leitoras já está satisfeito!

Chegou à Biblioteca Andarilha o livro "Sentir", onde Cristina Ferreira revela o seu percurso de trabalho e o esforço para chegar à realização do seu sonho.

Boas Leituras!


sexta-feira, 26 de maio de 2017

Ler faz bem!

Em Mombeja é sempre a primeira a chegar.
Nem o cansaço dos 81 anos a fazem desistir de levar umas poesias e histórias bonitas para se entreter ao serão, porque "isto de ler faz bem à nossa cabeça"
É das leitoras com mais idade que temos e das mais assíduas.
Bem haja D. Luisa!

                 

terça-feira, 16 de maio de 2017

Uma nova Promessa

Para quem esperava ansiosamente o terceiro volume da Trilogia Hotel das Recordações, de Nora Roberts, sugerimos um encontro na sua Biblioteca Andarilha.


segunda-feira, 8 de maio de 2017

Em boa companhia

Dia de casa cheia na Mina da Juliana!






segunda-feira, 24 de abril de 2017

Poesia

As mãos

Com mãos se faz a paz se faz a guerra
Com mãos tudo se faz e se desfaz
Com mãos se faz o poema  e são de terra.
Com mãos se faz a guerra e são a paz.


Com mãos se rasga o mar. Com mãos se lavra.
Não são de pedra estas casas mas
de mãos. E estão no fruto e na palavra
as mãos que são o canto e são as armas.

E cravam-se no Tempo como farpas
as mãos que vês nas coisas transformadas.
Folhas que vão no vento: verdes harpas.

De mãos é cada flor cada cidade.
Ninguém pode vencer estas espadas:
nas tuas mãos começa a liberdade.


Manuel Alegre

In: O canto e as armas

terça-feira, 18 de abril de 2017

Convite

Os seus filhos vão adorar!
Apareça.


sexta-feira, 7 de abril de 2017

Leitura solitária

Em dias de muito frio, a leitura de revistas torna-se muito solitária.







terça-feira, 28 de março de 2017

segunda-feira, 27 de março de 2017

Poema


Cai a chuva do céu cinzento
  
Cai chuva do céu cinzento
Que não tem razão de ser.
Até o meu pensamento
Tem chuva nele a escorrer.

Tenho uma grande tristeza
Acrescentada à que sinto.
Quero dizer-ma mas pesa
O quanto comigo minto.

Porque verdadeiramente
Não sei se estou triste ou não,
E a chuva cai levemente
(Porque Verlaine consente)
Dentro do meu coração.

Fernando Pessoa
In: Poesias Inéditas

terça-feira, 14 de março de 2017

sexta-feira, 17 de fevereiro de 2017

Novidades

Chegaram novos livros para os mais pequenos!

Traga o seu filho e espreite o temos para oferecer.



sexta-feira, 10 de fevereiro de 2017

Tarde de aconchego

Mesmo com frio e chuva as nossas leitoras da Trindade aparecem sempre.
Entre levar livros, ler uma revista e conversar um pouco conseguem aquecer o espaço da Andarilha e os nossos corações!
O nosso muito obrigado a todas.


sexta-feira, 13 de janeiro de 2017

Sugestões de Fim de Semana

Hoje na sua Biblioteca Municipal.
Esperamos por si!


Sugestões de Fim de Semana

No próximo sábado sugerimos que se divirta com os seus filhos num espetáculo de teatro!
Não falte!


quinta-feira, 22 de dezembro de 2016

Boas Festas

A Biblioteca Andarilha deseja a todos os utilizadores:

Um Feliz Natal
Um Próspero Ano Novo
e Boas Leituras



Horário de Inverno

Aqui deixamos o horário de Inverno, que começa a 3 de janeiro do novo ano.
Também pode consultar no icon Percursos e Horários.


segunda-feira, 19 de dezembro de 2016

O Costume do Presépio


O Presépio

Tornou-se costume em várias culturas montar um presépio quando é chegada a época de Natal.

Variam em tamanho, alguns em miniatura, outros em tamanho real.

O primeiro presépio do mundo teria sido montado em argila por São Francisco de Assis em 1223. Nesse ano, em vez de festejar a noite de Natal na Igreja, como era seu hábito, o Santo fê-lo na floresta de Greccio, para onde mandou transportar uma manjedoura, um boi e um burro, para melhor explicar o Natal às pessoas comuns, camponeses que não conseguiam entender a história do nascimento de Jesus.

O costume espalhou-se por entre as principais Catedrais, Igrejas e Mosteiros da Europa durante a Idade Média, começando a ser montado também nas casas de Reis e Nobres já durante o Renascimento.

Em 1567, a Duquesa de Amalfi mandou montar um presépio que tinha 116 figuras para representar o nascimento de Jesus, a adoração dos Reis Magos e dos pastores ao Menino Jesus e o cantar dos anjos.

Foi já no Século XVIII que o costume de montar o presépio nas casas comuns se disseminou pela Europa e depois pelo mundo.


In: www.wikipedia.org/